skip to Main Content
Indústria 4.0: Aproveitando O Poder Da Integração ERP E MES

Indústria 4.0: Aproveitando o poder da integração ERP e MES

Ao integrar o ERP e os dados de fabricação para previsões de demanda mais precisas, as empresas podem reduzir os estoques evitando a superprodução.

Escrito por Yuval Lavi, VP, technology & innovation, Magic Software | Jul 20, 2017

Nos mercados globais competitivos de hoje, ter um processo de lean manufacturing é mais importante do que nunca. O compartilhamento de informações entre o chão de fábrica e os sistemas de negócios pode permitir que os fabricantes atinjam novos níveis de eficiência. Com a Internet das Coisas industrial (Iot) revolucionando a manufatura, alavancando dispositivos inteligentes e conectados nas fábricas, há ainda mais oportunidades de ajustar as operações com melhor integração de dados e processos.

Em uma pesquisa recente da Accenture com mais de 1.400 líderes de negócios globais, 84% afirmaram com segurança que poderiam criar novos fluxos de receita com a implementação de soluções de IoT. A empresa Business Insider estima que a base instalada de fabricação de dispositivos de IoT aumente de 237 milhões em 2015 para 923 milhões em 2020. No ano de 2020, os fabricantes gastarão aproximadamente US $ 267 bilhões na IoT.

De fato, os retornos de eficiência esperados da digitalização nos próximos cinco anos em todos os principais setores industriais são substanciais: quase 3% em receita adicional e 3,6% em custos reduzidos por ano, de acordo com uma recente pesquisa da PwC. Ao liderar proativamente o esforço de digitalização, os fabricantes industriais podem ganhar uma parcela crescente desses ganhos.

Como os sistemas ERP contém informações sobre estoque e demanda do cliente, e os sistemas de execução de manufatura (MES) controlam a produção, a integração dos dois mundos pode ajudar a aumentar a eficiência operacional e permitir que as organizações se tornem mais flexíveis e mais responsivas a mudanças nas demandas. Além disso, a troca de informações em tempo real entre a camada de negócios e a camada de produção pode ajudar a aumentar a eficiência geral do equipamento (OEE), reduzir os tempos de ciclo e fornecer gerenciamento com maior visibilidade para melhorar a tomada de decisões.

Aqui estão seis maneiras de integrar o ERP ao MES que podem ajudar a tornar a fabricação mais enxuta:

1. Ajustes de produção em tempo real

As mudanças de demanda registradas nos sistemas ERP podem ser inseridas nos cronogramas de manufatura para garantir que as quantidades de produtos fabricados estejam mais alinhadas com a demanda por manufatura mais enxuta e mais eficiente. A maioria das máquinas de chão de fábrica é agora alimentada por sensores embutidos e mecanismos de controle. Redes de sensores e atuadores sem fio (WSAN) fornecem controle IoT, juntamente com métodos tradicionais de comando numérico computadorizado (CNC), que permitem ajustes de produção em andamento no chão de fábrica.

As etiquetas RFID, que foram usadas para ajudar a conectar parceiros e mover mercadorias de uma perspectiva logística e de gerenciamento da cadeia de suprimentos para além dos limites organizacionais, também podem ser usadas no chão de fábrica para rastrear materiais em andamento, rotear esses materiais com eficiência, ativar os requisitos de peças, programar reabastecimentos JIT e gerenciar a disponibilidade e a utilização de ativos. Quando combinados com outros dados sobre materiais à medida que passam pela fábrica e, eventualmente, até os clientes, as etiquetas RFID e outros mecanismos de rastreamento podem fornecer aos operadores da fábrica insights que permitem processar com eficiência,desde as matérias-primas, até o produto acabado.

2. Previsões Exatas de Demanda

Subestimar a demanda significa ficar sem produto quando a demanda do cliente é mais alta, reduzindo as receitas de uma empresa e prejudicando o relacionamento com os clientes. Estoques insuficientes ou faltas de estoque são prejudiciais para as receitas de curto e longo prazos, já que atrasos nos cronogramas de entrega podem prejudicar a confiabilidade percebida da empresa e os relacionamentos de longo prazo com os clientes.

Superestimar a demanda significa que as empresas precisam investir antecipadamente em muitos estoques extras, o que pode não ser rapidamente transformado em lucro. O excesso de estoque – seja matérias-primas, produtos em andamento ou produtos acabados – prende dinheiro em um negócio que pode ser melhor aproveitado em outro lugar. Com estoques tipicamente compreendendo entre 25% e 40% dos ativos, a incerteza de demanda é geralmente a maior influência sobre os níveis de estoque. Ao integrar o ERP  aos dados de fabricação para previsões de demanda mais precisas, as empresas podem reduzir os estoques evitando a superprodução.

3. Entrega just-in-time

A entrega Just-in-time (JIT), e a precisão cirúrgica que ela requer, já existem há algum tempo, mas agora que as cadeias de suprimentos estão se tornando cada vez mais interligadas com a Internet das Coisas, as marcas têm uma oportunidade inexplorada de usar os dados. Os gerentes da cadeia de suprimentos podem rastrear o estoque de entrada e saída com detalhes incríveis, e essa visibilidade permite que as marcas reajam imediatamente às mudanças. Os cronogramas do ERP podem ser mais realistas ao incorporar tempos de produção mais rápidos com base nas melhorias mais recentes no chão-de-fábrica.

As redes de sensores sem fio fornecem dados que afetam as programações just-in-time, como trabalho em andamento, estoque de peças e muito mais. Da mesma forma, qualquer tempo de inatividade devido a equipamentos danificados ou defeituosos pode ser reportado ao sistema ERP para que sejam ajustadas as datas de entrega, se necessário. Mesmo em trânsito, os sensores em contêineres ou caminhões fornecem insights em tempo real aos produtos em toda a cadeia de suprimentos.

4. Evitar pedidos urgentes

Ao integrar o ERP ao MES, os fabricantes podem reordenar os fornecedores antes que o estoque caia abaixo de um nível definido. Satisfazer os clientes ao atender às demandas em um determinado momento pode levar à confiança dos clientes em uma empresa.

As ordens urgentes são um dos principais tipos de riscos da cadeia de suprimentos devido ao seu impacto negativo no desempenho geral. Evitar pedidos urgentes não apenas minimiza a possibilidade de atrasos na produção, mas também evita custos adicionais incorridos ao solicitar materiais no último minuto e ao solicitar entregas aceleradas.

5. Mudança nos pedidos

A melhor integração dos sistemas suporta a execução mais eficiente de alterações nos pedidos . Quaisquer alterações de produto solicitadas pelos clientes precisam ser transferidas para sistemas de produção o mais rápido possível para evitar atrasos no cumprimento de pedidos. Da mesma forma, novos processos de fabricação que afetam os tempos e as despesas de produção precisam ser compartilhados imediatamente com os sistemas corporativos, de modo que qualquer informação sobre preços ou entrega de produtos possa ser atualizada.

6. IoT é igual a qualidade

Sistemas de execução de manufatura (MES) ajudam a agilizar as operações no chão de fábrica, gerenciando e monitorando todo o trabalho em andamento, inclusive fornecendo visibilidade em tempo real e possibilitando a rastreabilidade de materiais e produtos ao longo de seus ciclos de vida, facilitando ações corretivas para produtos defeituosos. Se houver um problema de qualidade no chão, a notificação em tempo real para os sistemas da empresa através de redes de sensores IoT pode ser feita para acionar ações corretivas necessárias por meio de eventos em tempo real e tarefas agendadas.

A integração de dados de manutenção preditiva com sistemas ERP para otimizar o agendamento de fluxo de trabalho pode ajudar os fabricantes a minimizar o impacto da indisponibilidade do equipamento, ajustando dinamicamente a execução da produção. Se algum material defeituoso for detectado, ele pode ser removido do estoque e devolvido ao fornecedor. O fabricante pode economizar dinheiro eliminando o refugo devido a matérias-primas com defeito e reduzindo a exposição a recalls e possíveis problemas de responsabilidade.

 

A integração do MES com sistemas ERP permite aos fabricantes orquestrarem ordens de serviço e outras necessidades de recursos. A integração de dados em tempo real sobre a disponibilidade de materiais em toda a cadeia de suprimentos com sistemas ERP pode ajudar os fabricantes a minimizar interrupções e atrasos desnecessários. À medida que os processos de fabricação se tornam mais complexos, ter a capacidade de rastrear todos os dados de produtos relacionados, do projeto à entrega, é essencial para maximizar a eficiência da fabricação.

Como os sistemas MES e ERP dos fabricantes geralmente são construídos por diferentes fornecedores de software e falam idiomas diferentes, a integração dos sistemas pode ser um desafio. Com o crescimento da quantidade de dados usados para melhorar os processos de produção, a comunicação cruzada e a interação entre os componentes aumentaram. Para reduzir o custo da comunicação e aumentar a eficiência desses sistemas, o middleware está se tornando mais essencial. Uma plataforma de integração livre de código que automatiza as transformações de dados técnicos e fornece uma interface visual de arrastar e soltar para orquestrar a conectividade de interface de programação de aplicativos (API) necessária pode acelerar e simplificar bastante a conectividade entre esses sistemas. As plataformas de integração ajudam a garantir um fluxo livre de informações para alcançar uma fabricação mais enxuta, eficiente e eficaz.

 

Yuval Lavi é vice-presidente de tecnologia e inovação da Magic Software Enterprises Ltd., fornecedora de soluções de software de integração de processos de negócios e desenvolvimento de aplicativos corporativos. Ele é responsável por definir a visão tecnológica da empresa, abrir novos horizontes tecnológicos para a empresa e construir alianças técnicas estratégicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top